Arquivo de 22 de Março, 2009

Dá para acreditar?

Acreditam que ontem estive quatro horas seguidas à frente de um computador? Nunca imaginei que passasse tanto tempo na Internet! Só vendo a minha análise para querer.
No Sábado, dia vinte e um de Março de dois mil e nove, acordei às nove e quarenta e cinco com uma mensagem no telemóvel. Na altura não respondi porque no dia anterior tinha estado no computador até tarde, e só queria dormir!
Só me levantei ao meio dia e vinte e sete para responder à tal mensagem e logo se prolongou uma enorme conversa que durou quase até às treze horas, que foi quando me apercebi que estava a “teclar” com três pessoas ao mesmo tempo! Parece impossível mas, como se não bastasse, conectei-me também à minha televisão, sintonizada na MTV. Fui ouvindo música e quando dei por mim já eram dezasseis e quarenta e três! Ou seja, estive agarrada ao telemóvel e à TV quase quatro horas… Tentei deixar aqueles aparelhos viciantes mas rapidamente me agarrei ao comando na televisão e fui mudando de canal até às dezanove horas (hora que utilizei para me dedicar ao desporto). Ainda assim não fui correr sem o meu mp3 com as minhas músicas de eleição! Dediquei uma hora (apenas uma hora) ao desporto para pouco tempo depois dar lugar ao computador: reproduzi as minhas músicas, liguei a Internet e conectei-me ao MSN para falar com seis pessoas ao mesmo tempo. Já para não falar da televisão que já estava ligada pois jantei colada à mesma para ver aquele jogo de futebol (ao qual não achei lá grande graça, diga-se!) e quando me apercebi, estava a receber as típicas sms’s do tipo: “Os meus pêsames pelo Sporting!”. Fiquei tão irritada que tanto respondia por telemóvel como por MSN, ainda que estivesse a “teclar” com a mesma pessoa pelos dois meios! Dá para acreditar?
Estive na Internet até à uma hora e para dar lugar ao telemóvel. Só o” deixei em paz” às duas e trinta e nove.
Nesse dia recebi cerca de cento e sessenta sms’s e enviei cerca de cento e sessenta! E agora, neste momento, estou aqui de novo no computador para colocar a minha auto-análise no blog.
A verdade é que é cada vez mais comum encontrar pessoas que não conseguem ficar muito tempo sem irem à Internet, sem enviarem mensagens por telemóvel, sem consultar o e-mail pelo PDA…Há também aquelas que não largam o leitor de mp3, e os que vivem comprando as últimas novidades tecnológicas, muitas vezes antes de saber se serão úteis no dia-a-dia.

 

 

Ana Sofia Lopes

Anúncios

Aldeia Global?

Quando ouvimos esta célebre frase – “Uma rede mundial de ordenadores tornará acessível, em alguns minutos, todo o tipo de informação aos estudantes do mundo inteiro” – nem nos damos conta do impacto que causou há décadas atrás. Dita por Marshall Mcluhan, esta citação parecia saída de um livro de ficção científica. Mcluhan foi chamado de louco, principalmente quando, em 1964, publicou um livro chamado Understanding Media, que, em português ganhou o título de Os meios de comunicação como extensões do homem. Mal imaginaria ele que as suas teorias iriam ser mais desprezadas do que estudadas!
Mcluhan criou o conceito de aldeia global, ou seja, o progresso tecnológico estava a reduzir todo o planeta à mesma situação que ocorre numa aldeia. Rapidamente este conceito foi criticado por muitos que diziam que se tratava mais de um conceito filosófico e utópico do que real. Afirmam que o mundo está longe de viver numa aldeia e muito menos global: o conceito de aproximação das pessoas numa aldeia, em que todos se conhecem e participam na vida e nas decisões comunitárias não se adapta à ideia de sociedade contemporânea. N minha opinião, partindo da ideia que o mundo está, de facto, interconectado, não deixa de ser verdade que, nesta aldeia, muitos são os excluídos (basta lembrar o número de habitantes ligados à
internet em algumas regiões africanas). E não digo isto certamente da boca para fora: um estudo das Nações Unidas de 2005 (Information Economy Report 2005) sobre a exclusão digital revela a importância da Internet como ferramenta para as empresas encontrarem contratos e clientes de uma forma nunca dantes conseguida. Mas apenas 3,1 por cento da população africana tem acesso à Internet e menos de um por cento com ligação por banda larga! Revela ainda que “o fosso na utilização da Internet entre países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento parece ser vasta. Na União Europeia, cerca de 89 por cento das empresas estão ligadas à Internet. Os dados para os países em desenvolvimento são raros, mas enquanto Trinidad e Tobago, onde 77 por cento das empresas estão ligadas à Internet, e Singapura (76%), têm elevadas taxas de utilização no mundo empresarial, as ligações na Mauritânia (5%) e Tailândia (9%) são bastante mais baixas. O relatório revela que a banda larga está a ter um grande desenvolvimento nos países desenvolvidos e numa mão cheia de nações asiáticas, mas a maioria dos países pobres fica muito atrás.”
Ainda acham que estamos a um mínimo passo de nos tornarmos numa aldeia global?

 

Ana Sofia Lopes

Mais horas tecnológicas, menos neurónios funcionais!

Ainda ontem adormeci tardíssimo. Porquê? Não dei sequer pelas horas passar enquanto estava agarrado ao computador! Hoje acordei com o despertador da minha invenção tecnológica favorita, ou pelo menos aquela sem a qual me custa mais viver – o telemóvel. Levantei-me e usei logo uma série de electrodomésticos que habitualmente uso… microondas, frigorifico… Abri a janela para aproveitar o facto de estar no campo e respirar o verdadeiro ar, mas logo a seguir pensei que o computador tinha sido feito para trabalhar. Então liguei o computador e ao mesmo tempo a televisão que ficou a fazer-me companhia, como habitualmente faz. A maior parte das vezes nem olho para ela a não ser em horário de noticiários ou outros programas que me agradem. Enfim, ficou umas belas horas ligada. Desliguei apenas quando saí de casa. Para além do telemóvel, imprescindível é também o Ipod. Ainda assim não foi necessário ligá-lo logo. Entrei no carro e optei por ligar o rádio. Parei depois no multibanco e segui o resto do caminho a pé na companhia do Ipod. Parece que procuramos mesmo a solidão… Abdicamos de estar com os amigos ou de qualquer outro programa só porque estamos a navegar na ‘net’, a ver a série favorita ou a fazer qualquer outra coisa que só nos queima os neurónios.

Os avanços tecnológicos trouxeram-nos também aquecedores… ora liguei o meu! Optei no fim de jantar por um jogo de snooker em vez de mais um serão passado em frente ao monitor. Regressei à pouco para junto dele, não vá ele sofrer também de solidão. Acabo de olhar para a memória do telemóvel. Contrariamente ao habitual ele hoje teve um dia calmo. Enviei 48 mensagens e recebi 57. Recebi apenas duas chamadas e nem fiz uma. Consultei e-mails e por acaso fiz uso da câmara que ele tem integrada, não vá ela também estragar-se por falta de uso. Usei ainda durante alguns minutos o seu mp3 porque não tinha o Ipod com bateria.

Neste momento uso várias das ferramentas do Windows e vou continuar a navegar pela noite dentro. Amanhã á noite o computador terá menos uso e manter-se-á assim pelo resto da semana. Pelo contrário, o telemóvel não terá descanso. Durante a semana o computador não é prioridade. Assim defini a partir do momento em que mudei de cidade. Tive consciência de que passava tempo demais na sua frente.

É assustador contar as horas que ‘perco’ a utilizá-los (objectos tecnológicos). Não quis contabilizá-las para depois não multiplicar isso por uma semana, depois por 1 mês, por um ano, por uma década e sei lá por mais quanto tempo. Sei sim que o tempo que passo á sua frente, o dinheiro que gasto no telemóvel, em comprar Ipods, mp3’s e muitas outras coisas dava para viajar até á Índia ou a qualquer outro sitio onde eu gostasse de ir e para além de fazer muito menos mal, permitia-me conhecer culturas e novas experiências. Quem disse que a tecnologia não é perigosa?

Filipe Metelo


Calendário

Março 2009
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Estatística

  • 895.043 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.230 outros seguidores

Anúncios