A mediação digital na vida e no mundo

(Tema de escrita: “Como está presente a mediação digital no meu quotidiano? Qual a função da comunicação síncrona à distância no meu dia a dia? Como é que eu tomo parte nas redes sociais eletrónicas?”)

  Longe vão os tempos em que com 7 anos de idade, as crianças não sabiam o que era a tecnologia. Conheciam sim, a sua própria tecnologia, bastante “avançada”, em que sabiamente criavam jogos e entretenimento reais. Pouco a pouco a televisão, os jogos digitais, os computadores, foram ocupando o lugar das velhas brincadeiras. E não falando só da infância, também a tecnologia e os media chegaram para ficar na vida dos adultos, tornando-se algo que os mais velhos não entendem, mas que começam a querer aprender.

  Eu própria cresci habituada às pequenas brincadeiras inventadas no recreio escolar, não imaginando como iria mais tarde o mundo digital ocupar um lugar principal e de destaque no meu quotidiano. Mas a verdade é que a tecnologia cresce e nós crescemos com ela. Hoje em dia, uma criança de 7 anos está precocemente ligada àquilo que nós fomos descobrindo com 12, 13 anos de idade.
  Mas a verdade, e críticas à parte, é que hoje em dia me é impossível distanciar-me deste mundo digital, dos media, da tecnologia. Na verdade, necessitamos dela para tudo: para a escola, e cada vez mais cedo; para o trabalho; para descobrir pequenas coisas do quotidiano, seja uma receita, um horário de autocarros ou a divulgação de um evento.

   E depois, as relações que se estabelecem através dessa grande rede que é a internet. Aqui entram as redes sociais, tão valorizadas no nosso dia-a-dia, senão mesmo, sobrevalorizadas. O célebre hi5, em tempos, que mais tarde deu lugar ao fascinante Facebook, são duas das redes que mais utilizei. Simples páginas online que podem conter toda a vida de alguém e por entre fotografias, actualizações de estado e comentários, está exposta ao mundo ou pelo menos aos nossos “amigos” tudo o que temos, vivemos e gostamos, à distância de um simples clique. E embora pareça absurdo, nós gostamos disso, a sociedade gosta disso, não fosse essa agora a citação mais famosa do mundo.

   E comigo não é diferente. Procuro nesta caixinha tudo aquilo que pretendo saber, ganho conhecimentos, já fiz amigos (e alguns já os perderam), divulgo sobre mim e sobre o que gosto e comunico. E talvez seja essa a parte mais importante para mim.
   Vivendo agora noutra cidade, porque os estudos e a vida universitária a isso obrigam, a internet e as redes sociais tomam a parte da minha comunicação com familiares e amigos de quem estou longe, para que nada se perca.

   Considero que seja este o espelho da maior parte da sociedade actual.

   E embora tudo isto mude daqui a 10 anos, pois a tecnologia vai continuar a evoluir, os media a crescer e a fazer cada vez mais parte de nós, porque daqui a anos não vai haver ninguém que não conheça este mundo, ficará sempre marcada para quem a viveu esta era, e continuaremos a lembrar como crescemos a par com a tecnologia. Talvez quando lá chegarmos, e assistirmos a novas invenções, a nossa expressão ainda será: Gosto disto!

 

Ana Vilarinho

Anúncios

Calendário

Março 2012
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Estatística

  • 785.400 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.227 outros seguidores

Anúncios

%d bloggers like this: