Arquivo de 11 de Março, 2012

Cinematografia: Como mudou o mundo?

A cinematografia é considerada como “escrita da imagem em movimento”, ou seja, ao longo dos anos vimos o cinema a evoluir de forma extraordinária, em que a sua técnica e arte têm vindo a reproduzir imagens que nos suscitam a impressão de movimento. As obras cinematográficas são produzidas através da gravação de imagens no mundo das câmaras adequadas, ou pela sua criação utilizando técnicas de animação ou efeitos visuais específicos.

Até que ponto isso muda o nosso mundo? Uma pessoa quando lê um livro, pode imaginar/visualizar tudo o que está a acontecer mas por mais descrições que esse livro tenha a pessoa nunca poderá captar todos os momentos ao mesmo tempo. Dois grandes senhores do cinema foram os irmãos Lumière, eles inventaram o cinematógrafo. Em 1895, apresentam-nos a representação fílmica da ‘Saída da Fábrica’ (http://www.youtube.com/watch?v=4nj0vEO4Q6s), neste filme temos a noção de movimento, podemos observar as pessoas a saírem depois de um dia de trabalho, reparamos no mais pequeno pormenor porque através da câmara, que filma vários movimentos ao mesmo tempo dá nos oportunidade de “visão óptica”. Quando vemos as imagens deste filme pela primeira vez em movimento dá nos a sensação de que como é maravilhosa a maneira como eles trabalhavam e o tempo que demorava para captarem um momento tão belo como este (na minha opinião).

Ao longo dos anos o mundo do cinema tem se tornado cada vez melhor, dá nos a oportunidade de vermos filmes de uma forma incrível em que por vezes parece que estamos dentro do próprio filme (definição 3D), dá oportunidade às pessoas de conhecerem histórias verídicas que acontecerem no passado e que agora de certa forma são relembradas, temos o exemplo do “menino do pijama às riscas” em que conta a história de duas crianças que em plena guerra mundial se tornaram amigas, e apesar de um ser alemão e outro judeu ficaram amigos e essa amizade era tão forte que levou a que ambos mesmo sem saber fossem exterminados. A cinematografia também mudou o sentido do mundo, quando em pequenos momentos podemos captar situações incríveis, ao filmar os nossos filhos a crescer, o nosso casamento, o aniversário de alguém, uma viagem turística, tudo isso tem contribuído para a mudança do mundo.

Em conclusão, a cinematografia foi algo que contribui para a percepção do nosso mundo, através das câmaras também podemos ter contacto com o exterior. Sabemos o que pode estar acontecer tanto em Portugal como no Brasil ou na outra ponta do mundo, por isso acho que tem vindo a mudar o nosso mundo, e através de uma primeira imagem que fez toda a sua diferença temos agora filmes que continuam a nos cativar e a marcar as nossas vidas porque cada um pode trazer uma história de carácter didáctico ou simplesmente pode nos divertir numa bela tarde. Por isso acho que devemos continuar apoiar o mundo do cinema por que ele sim contribui bastante para as nossas vidas.

Anúncios

Fotografia: Uma tecnologia visionária

Fotografia: foto = luz + grafia = escrita. “Escrita da luz”.

A fotografia, antes de tudo, é um testemunho. Quando se aponta a câmara para algum objecto ou sujeito, constrói-se um significado, faz-se uma escolha, selecciona-se um tema e conta-se uma história. Cabe a nós, espectadores, o imenso desafio de lê-las. – Ivan Lima.

O desejo da captação da realidade, transformado em imagem, imobilizado na imortalidade, fascina o Homem desde sempre, como provam as pinturas rupestres da Pré-‑História, por exemplo.

Julgava-se existir uma relação mágica entre as coisas e a sua captação, que se vem a acentuar no séc. XIX, com a invenção da fotografia. Esta foi a primeira forma de registar “para todo o sempre” os acontecimentos, que, de outra forma, seriam efémeros e facilmente susceptíveis de serem esquecidos. Deste modo, qualquer um pode ser o seu próprio repórter.

É então, em 1837, que surge o primeiro daguerreótipo, pelas mãos de Joseph Nicéphore Niépce e Louis Daguerre, apresentando uma “natureza morta”. A fotografia era considerada uma rival das artes, nomeadamente, da pintura, tendo sido difícil a sua aceitação e tolerância, essencialmente pelo facto de ser considerada um produto industrial. A fotografia opunha-se um pouco à pintura por esta ser uma visão interpretativa da realidade por parte dos pintores, um tanto subjectiva, ao contrário da fotografia, que seria mais objectiva, por representar fielmente a realidade, sem manipulação do homem. Desde o seu aparecimento, actua como uma tecnologia de informação e de comunicação, e como memória. A memória humana sofre de falhas e efemeridade, ao contrário de uma câmara fotográfica.

É nos anos 30 que a fotografia alcança a sua dimensão actual. Hoje em dia, a fotografia já não é vista tanto como uma mera representação do real, mas sim como a possibilidade de o transformar.

A fotografia tornou-se importante, também, no mundo dos média, na medida em que está na origem do cinema, por exemplo. Na verdade, existem poucos mundos de que a fotografia não faça parte: documenta as imagens tiradas do espaço, ilustra livros e reportagens/entrevistas… O jornalista substitui a descrição por uma imagem.

Esta técnica desempenha, essencialmente, o papel de documento, de documentar isto ou aquilo. Permite eternizar uma marca, um vestígio deixado por algo físico ou material. “Recorta” um fragmento de um determinado momento, num determinado lugar. É, também, capaz de criar a sua própria linguagem, uma linguagem que não se limita a reproduzir o real, que na verdade pode manipular. É o caso da fotografia na publicidade, pois esta organiza-se para lá de uma representação “inocente” da realidade, na medida em que ela nos transmite uma mensagem, um texto invisível, que é onde reside a mensagem publicitária. Uma imagem fotográfica pode suportar um inúmero conjunto de códigos, de simbolismos, que cabe a cada um interpretar e compreender.

A fotografia serve como estímulo da imaginação, e proporciona a multiplicidade de interpretações.

Beatriz Barroca.

A potencialização do ensino através dos média digitais

Tema de escrita: Como participam os média digitais nos meus processos formais de aprendizagem? Como uso a internet e o computador? Que programas e plataformas uso? 

Com o surgimento e a evolução constante e exponencial dos média digitais, ocorreram muitas mudanças na conjuntura mundial, incluindo nos sistemas de ensino e aprendizem.

Os novos média vieram para acrescentar e potencializar as formas de ensino tradicionais. Com a internet e as mais diversas plataformas de computador que vem sendo criadas nos últimos anos, os estudantes tem cada vez mais meios e conteúdos a sua disposição. Não ficamos mais limitados ao que vemos em sala de aula, aos textos indicados pelos professores e aos documentos disponíveis na biblioteca. A internet e as ferramentas de busca online, como o mais famoso, o Google, tornam infinita a quantidade de informações que o estudante pode adquirir. Basta digitar o tema de pesquisa na barra de procura e vamos encontrar milhões de resultados compatíveis com o que desejamos. Claro que nem todas as páginas que aparecem como sugestão são confiáveis ou relevantes, mas com critérios, encontramos sites sérios que ajudam bastante na aprendizagem estudantil.

Esse uso como “assistente” no processo de aprendizagem dos jovens já se popularizou tanto que hoje podemos encontrar enciclopédias completas online, sites especializados e específicos para a propagação do conhecimento, etc. Além disso, muitos livros didáticos já vêm com CDs-rooms com conteúdos adicionais aos do livro propriamente dito, ou com novas formas mais “dinâmicas” de informar aquilo.

E ainda temos o exemplo das plataformas online disponívies pelos próprios colégios e universidades para seus alunos. Podemos, através desses dispositivos (como o Nonio disponível aqui na Universidade de Coimbra, ou o Moodle Virtual disponível na minha universidade de origem no Brasil), acessar documentos disponibilizados pelos professores, abrir discussões em fóruns sobre os assuntos discutidos em sala de aula, publicar trabalhos, etc.

Acredito que ainda há muito o que se desenvolver nos média digitais e na sua relação com o processo de ensino e aprendizagem, mas podemos dizer que há uma afinidade muito grande entre as duas áreas. Os novos média potencializam e dinamizam o acesso ao conhecimento, podendo assim se tornar um aliado cada vez maior da Educação.

Larissa Guedes


Calendário

Março 2012
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Estatística

  • 895.042 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.230 outros seguidores

Anúncios