A Obra de Arte na Era da Reprodução Técnica

Podemos considerar que o surgimento da capacidade de utilizar a fotografia para reproduzir uma imagem foi um momento chave tanto na reprodução e representação do nosso quotidiano com também no processo da própria produção da obra de arte. Na construção da obra “as meninas” de Velázquez, somos capazes de verificar essa construção através da cópia, primeiro com Picasso, a fazer a sua reprodução e mais tarde, através da manipulação, do fotógrafo Joel-Peter Witkin. Ainda hoje continua a ser reproduzida por outros autores, especialmente através dos novos media e das novas ferramentas de edição de imagem que permitem que todos sejam, ou tentem, exprimir-se como artistas.

 

as-meninas-a-versc3a3o-de-velc3a1zquez

“As meninas” Velázquez

as-meninas-a-versc3a3o-de-picasso

“As meninas” Picasso

as-meninas-a-versc3a3o-do-fotc3b3grafo-joel-peter-witkin

“As meninas”Joel-Peter Witkin

A “aura” de que fala Walter Benjamin, não deixa hoje de existir por estar multiplicada nos novos media. Esta, apenas desceu da sua posição quase inatingível na estrutura hierárquica e está, hoje, acessível a todos para que a utilizem, desfrutem e manipulem à sua maneira em vez de estar confinada apenas aos privilegiados que a ela podem ter acesso. A plataforma na qual se acede à obra de arte muda, no entanto a “aura” incutida pelo autor mantém-se desde que, ao falarmos de obras de arte, consigamos distinguir aquelas que pela sua imponência, não se tornam possíveis de transmitir virtualmente muito pela força que têm fisicamente. As “auras” existentes na maioria das artes plásticas diferem das “auras” presentes de uma produção literária pois uma frase proveniente de um texto de Eça é intemporal e soberana no que diz respeito à plataforma onde a lemos, desde que, a possamos interpretar no contexto que o autor a quis fazer passar. Será hipoteticamente mais percetível a “aura” de uma estátua que pela sua dimensão, atinge uma imponência que não pode ser percecionada através de um monitor de um computador ou de um quadro que denota o passar do tempo refletido numa tela que já conheceu vários donos. O futuro certamente certificar-se-á de encontrar uma forma de equiparar a visão 3D que temos de algo de forma a que a possamos ver representada virtualmente tal e qual ela é.


Calendário

Abril 2013
M T W T F S S
« Mar   Maio »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Estatística

  • 526,615 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.226 outros seguidores


%d bloggers like this: