Reprodutividade técnica

A problemática da definição da arte no século XX é atribuída ao processo de industrialização que teve como consequência a invenção da fotografia e mais adiante do cinema. A revolução industrial que impulsionou o capitalismo vigente no século XX, fez com que houvesse assim o nascimento da democracia de massa que tinha como objetivo o acesso a arte. O consumismo característica do capitalismo, torna a obra reprodutiva e assim modificando o seu conceito de obra única a qual inicialmente teve   sua natureza artística contestada. Benjamim, afirma que a produção em serie feita pela cultura de massa, foi responsável pela perda da autenticidade da obra (aura). Contudo, esses novos ideais possibilitaram ao público um mais fácil acesso às obras de arte, já que o capitalismo precisava de um publico que consumisse seus produtos.

A reprodução técnica fotográfica e cinematográfica revolucionou a arte de modo que se aproximou o quanto real possível da realidade, isso fez com que a pintura se desprendesse da função do retrato do real. Contudo, a reprodução técnica é mais autônoma que manual, tendo em vistas que o desprendimento do toque das mãos do artista se tornou mecânico e técnico, é possível dizer que com isso a obra perdeu o seu aqui e agora, ou seja, o seu momento e sua singularidade. Essas novas técnicas adotadas pela cultura de massa fez com que houvesse uma decadência da aura; momento particular da obra que, segundo Benjamin, é perdido com os mecanismos de reprodutividade técnica.                                                                               

De um modo geral, é possível afirmar que esse processo que foi iniciado com a revolução industrial, teve como consequência uma nova forma de se pensar e de se fazer arte. A fotografia e o cinema foram consequência do desenvolvimento do capitalismo vigente e contribuíram diretamente para a construção de uma nova visão. Sendo assim, a reprodução técnica de massa acaba criando um novo conceito para arte do século XX e dando iniciou a reprodução em serie que perdi a essência da arte como obra única.

                                                                                                                              Rodrigo Sá


Calendário

Maio 2013
M T W T F S S
« Abr   Jun »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Estatística

  • 527,102 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.226 outros seguidores


%d bloggers like this: