Os médias e a educação

Como pensar a educação em tempos em que a internet começa a ser afirmada como algo que atinge essencialmente as nossas relações e modifica a própria essência do ser humano? A partir do momento em que as pessoas comprimem suas relações pessoais e legitimam os dispositivos eletrônicos como meios para concretizar estas relações, a própria sala de aula começa a ser pensada de outra forma, pois os próprios alunos já não conseguem manter sua atenção diante do professor, mas sim alguns já preferem manter-se conectados. Também há a afirmação dos chamados virtual learning environment, onde a veiculação de documentos e conteúdos dar-se via plataforma virtual, pondo em questão o próprio uso do livro de capa, de papel. Assim, o material do estudante já é modificado e ganha circulação virtual. O acesso a bibliotecas diminui, pois muitos exemplares são encontrados em sites que armazenam os mesmos.

No dia a dia, já vejo que é muito difícil não acessar a conta de e-mail ou acessar a pagina de rede social, pois nestes espaços a veiculação de informações sobre a faculdade e a disposição de material para o estudo é natural nestes espaços. Tenho dificuldades de gerir estas informações, principalmente no que se refere a rede social facebook, onde as informações de todo tipo, misturam-se e estão lado a lado.

Com esses e outros costumes sendo consolidados a cada dia, o ato de conectar-se e desconectar-se – e este processo, segundo Zygmunt Bauman*, um pensador polonês, mudou essencialmente a forma em que nos relacionamos e constiuimos relações com outras pessoas – está cada vez mais presente em nossa cultura contemporânea. E a própria educação sendo influenciada, os modelos e métodos de ensino vão sendo alterados. Uma experiência que tive em relação a isso, foi uma disciplina que cursei na área de educação, onde estudei um tipo de modelo de ensino que já é usado em escolas. O método é constituído basicamente pela construção de webquests.

A webquest é um processo que segue um desenvolvimento por etapas e caracteriza-se como um modelo de pesquisa e investigação em determinado tema. Assim, o aluno de forma interativa e as vezes lúdica, segue as etapas para investigar determinado tema. Aqui está o link para visualizar a webquest que construí durante a disciplina: https://sites.google.com/site/omisteriobarroco/. A construção da webquest é seguida por uma introdução do tema a ser tratado –  no meu caso, foi o Barroco – depois é seguido por tarefas, um processo, a avaliação, e a conclusão. Também há links para ajuda em caso de dúvidas do aluno.

Portanto, os métodos de aprendizagem estão sendo revisitados e os dispositivos eletrônicos são usados constantemente nos processos educacionais na nossa atual cultura ocidental, o que contrubui para a afirmação de uma sociedade cada vez mais “transportada para o virtual”.

* vídeo com um trecho da fala de Zygmunt Bauman:

 

Allan Moscon Zamperini


Calendário

Fevereiro 2014
M T W T F S S
« Dez   Mar »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728  

Estatística

  • 525,046 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.226 outros seguidores


%d bloggers like this: