WHAT IS A AVATAR ?

olá,  avatar é um pequeno pedaço de códico  de facil utilização que permite programar os nossas sistemas  vertuais. Em avatar olá Beteth Coleman examina o aspecto crucial das nossas mudanças culturais do analógico para o digital: o cuuntiunum entre on-line e off-line o que ela chama de `´REALIDADE´` X  que atravessa entre o virtual e o real. Ela olha para o surgimento de um mundo que não é, nem virtual,l nem real mas engloba uma multiplicidade de combinações de rede. Ela argumenta que é o papel de avatar para nos ajuda a expressar a nossa agência. o nosso poder de personalizar a nossa vida em rede.

Por avatar Coleman significa não apenas as figuras animadas que povoam as nossas telas, mas a gestal de imagens texto e multimédia que compõem nossas identidades on-line em mundos virtuais como o second life e não forma de e-mail, chat de video e outros artefactos digitais.Explorando essa actividades de rede como forma de realização, extrema violencia virtual), e um trabalho na realidade  de laboratórios virtuais, e oferecendo entrevistas, barras lateral com designações profissionais, Ela argumenta que, o que é novocom  colaboração em tempo real e com presenças a nossa forma de fazer conexões  usando media em rede e as culturas em torno deste. A estrela deste drama de horizontes explanadas é o assunto em rede- todos nós que representam aspectos nós mesmo e do nosso trabalho em todo o medias cape

Em avatar olá Coleman explica nos o que está acontecendo nas bordas de sociedade em rede de forma profunda e reveladores. Ela provoca o melhor em nos empurrando as fronteiras da nossa reflexão sobre a identidade. Ela consegue operar o nível mais grave de teoria e o nível mais imediato do designer e da prática do mesmo texto. o novo livro do Coleman é um verdadeiro presente, para o estudioso, o designer e para o leitor em geral iguais

IVETE MONTEIRO

VIDA NA TELA SHERRY TURKLE

Sherry Turkle nascido em Nova Iorque 1948 Ela obteve um BA em Estudos Sociais mais tarde um Php em Sociologia da personalidade na Universidade de Havard, ela agora se concentra sua pesquisa  sobre psicanálise e Iteração humana tecnologia ela tem escrito vários Infocando  a psicologia das relações humanas com tecnologia especialmente no reino da forma como as pessoas se relacionam com objectos computacionais

Em the second self, publicado originalmente em 1984 são ferramentas tanto quanto eles, são uma parte de vossas vidas sociais e psicológicas «TECNOLOGIA« ela escreve catalisa mudanças não apenas no que fizemos mas na maneira como pensamos.

ela continua usando Jean Piaget  discurso psicologia discutir como as crianças aprendem sobre computadores e como isso afecta o seu mentes.

A Second Self  foi bem recebida pela critica e foi elogiado por ser um estudo muito aprofundado e Ambicioso.

Em vida na Tela Turkle discute com computadores tecnologias emergentes especificamente afectar e como ele nos leva ao uso predominante de agora« Ciberespaço, Turkle sugere que assumir diferentes identidades  em um MUD ou seja computador jogo de fantasia) pode ser terapêutico.

Ela também considera os problemas que surgem quando utiliza MUDS

Turkle também explora o impacto psicológico e social de tais Artefactos, Relacionais como robôs sociais e como essas e outras tecnologias esta mudando attitudes sobre a vida humana os seres vivos em geral.

o resultado poder ser uma desvalorização de experiência autêntica em uma relacionamento.

Sherry Turkle tem escrito numerosas artigos sobre psicanálise e cultura e sobre o Lado Subjectivo. das relações das pessoas com a tecnologia especialmente computadores. Ela está envolvida no estudo de tecnologias no estudo activo de robôs animais criaturas digitais simulados particularmente aqueles proj para crianças e idosos, bem como em um estudo de tecnologias moveis e celular.

Ela é um comentarista de media destacadas sobre os efeitos de tecnologia para CNN, NBC.ect

Turkle começou a avaliar os efeitos adversos do rápido avanço da tecnologia no comportamento social,Humano ALONE TOGETHER por que esperar mais tecnologia e menos o outro foi publicado em 2011 e quando se discute o tema ela fala sobre necessidade de limitar o uso de dispositivos tecnologias populares por causa desses efeitos adversos.

A vida Na Tela« Em life on the screen Turkle apresenta um estudo de como o uso do computador das pessoas tem evoluído ao longo do tempo. e do profundo efeito que esta máquina tem sobre seus usuários. O computador que conecta milhões de pessoas em todo o Mundo juntos está a mudar a forma como pensamos e vemos.

Apesar de ter sido originalmente destinado a servir como uma ferramenta para nos ajudar a escrever e comunicar com os outros tem mais recentemente transformado em um meio de fornecer- nos com mundos virtuais que pode entrar e interagir com outras pessoas.

O termo Ciberespaço foi cunhado e refere- se nossas intenções diárias no computador tais como verificar o nosso e-mail ou fazer reservas de passagens aéreos.

CYBERSPACE nos permite entrar em contacto com outras pessoas de todo Mundo, e desenvolvem relacionamentos virtuais com eles.

O Livro discute como tal simulação afecta nossas mentes e a maneira como pensamos sobre nós mesmo.

TURKLE também discute a forma como a nossa  Identidade humana esta mandada devida ao limite desaparecendo ente seres Humanas e computadores e como as pessoas agora tem dificuldade em distinguir  entre humanas e maquina.Costumava se pensar que os humanos não eram nada como maquinas,porque os Seres humanos tinham sentimentos e maquinas não o fez no entanto como a tecnologia melhoras os computadores tornaram-se cada vez mais semelhantes a Humana e essas fronteiras Teve que ser redesenhado.As pessoas agora comparam agora as suas próprias mentes para maquinas e falar com eles livremente sem com qualquer vergonha e embaraço  Turkle questiona a nossa ética na definição e deferencial entre a vida real e vida simulada..

IVETE MONTEIRO

Mcluhan o Meio é a Mensagem

     O meio e Mensagem

      Na década de ano 1960 Macluhan apresentou  as suas teorias, um tanto visionarias, a cerca das tecnologias, para o autor os meios tecnologicos são uma extensão do corpo humano que ampliam as capacidades do Homen, ou dos próprios sistemas e instrumentos criados pelo Homem, para ele por exemplo: a roda seria uma extensão das pernas a roupa seria uma extensão da pele, os próprios meios da tecnologia não se detém em suas formas físicas ou matérias, e dá o exemplo do alfabeto  como uma extensão humana ( linguagem).

Neste caso, teria posteriormente sua capacidade expressiva, ampliava através dos meios expressos,   que através da mensagem manifestam- se em simultâneo. o livro contém a palavra impressa, que contem a escrita, contendo o discurso e assim por diante neste exemplo podemos entender que o conteúdo de um meio é sempre outro meio. nele encontramos uma mensagem. o meio é qualquer extensão de nós mesmo, noutras palavras, um meio é qualquer coisa a partir da qual surge uma mudança.

A mensagem não pode ser simplesmente reduzida ao conteúdo ou informação que o meio vincula,a sua mais importante característica poder de mudar, e influir nas relações e actividades humanas. É ai que encontramos a máxima de Mcluhan. sua famosa controversa frase: O meio é a mensagem..

É difícil encontramos ou definimos uma concreta para tal conceito, mas após dizer que: O meio é a mensagem em seu livro os meios de comunicação como extensões do homem. Mcluhan o fato é que nem sempre percebemos a interface entre os diversos meios de comunicação e seus efeitos sobre nós, suas intervenções nas sociedades ou culturas, pois podemos  pensar que o  conteúdo de qualquer mensagem é como algo menos importante do que o próprio meio.

Na obra de Mcluhan, na sua perspectiva sobre os medias sociais é possível ver algo de profético.

Antecedeu os adventos de meios que hoje se manifestam, como uma realidade global, diferentemente da sua época, hoje a sua interactividade dos multi médias, da  velocidade dos avanços tecnológicos , são superiores e se tornaram verdadeiramente extensões  físicas e psíquicos do homem,  temos como maior exemplo a Internet, podemos dizer que é a nossa realidade actual sem dúvida, que o meio é a mensagem.

As condições e alterações proporcionadas  pelo meio, as quais todos os individuas estão submetidos, geram mudanças não só no nível da Sociedade e  da comunicação, como também, e  principalmente no estilo de vida de cada um.

Mcluhan  nos deixou quatro teorias que nos permitem estudar e aprender a real natureza  dos meios de comunicação, que revolucionaram toda a historia da Humanidade.

 Ivete Monteiro,

A importância da imagem.

O que significa ver uma imagem pela primeira vez?

Quanto a importância da imagem ela retrata realidade, e sempre foi um desejo do ser humano poder ver retratado o que vê.
em 1826 Joseph Niépce realizou esse desejo com apresentação da primeira fotografia.
assim sendo iniciou se então uma rápida evolução, mais tarde a fotografia tornou se acessível a todos a apreciadores desta nova descoberta tornando se assim essa descoberta parte integrante e importante das nossas vidas.
Antes dessa invenção a pintura era utilizada como umas das formas de representação da realidade, seja para documentação como também para retrato familiar.
Após aparecimento dessa descoberta (da fotografia ), esse processo tornou se mais fácil, mais rápido, a medida que ia se evoluindo tornou se cada vez mais real dando mais possibilidade de as imagens tiradas ser recordadas eternamente.
As fotografias e imagens tiradas são como memorias vivas, registando o passado como se fosse o presente, passado esse que é revivido à medida que vamos olhando para as elas, como se o contexto em que foram tiradas, pudesse ser vivido novamente, é uma sensação imaginar um passado que se torna no presente, ou seja estar presente neste século XXI,.
Uma Imagem Vale mais que Mil Palavras, é a linguagem que se usa para Dignificar uma fotografia, pois aquilo que agente vê é aquilo que o Fotógrafo viu, esta observação tornou se cada vez mais importante nas nossas vidas, fornecendo-nos informações necessárias que mais facilmente tomamos como realidade e mais fácil de qualquer pessoa poder interpretar, do que por exemplo se fosse um texto de leitura, é mais receptível e mais fácil de ser intendido.

Podemos ter como exemplos , de grande repórteres de guerra, que ariscam as suas vidas para nos mostrarem o que se passa pelo mundo ou numa determinada rebelião ou campo de batalha ou de refugiados, bem como outras qualidades do ser Humano, qualidades essas totalmente diferentes daquelas que se mostram por exemplo em fotografias familiares.
Contudo devemos esta grande descoberta aos grandes inventores da fotografia e imagem, que tornaram as nossas vidas mais alegres. E
toda essas revelação que antes era apenas um meio para retratar a realidades existentes duma determinada época bem como do presente, hoje serve como meio de entretenimento, profissional, de documentação e entre outros.
É Arte em Todo Mundo. É um Meio de Comunicação, É A VIDA.

Ivete Monteiro


Calendário

Agosto 2017
S T Q Q S S D
« Jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Estatística

  • 623,653 hits

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.226 outros seguidores